domingo, 17 de setembro de 2017

FACES OF DEATH (Thrash Metal - Pindamonhangaba/SP)


Banda: FACES OF DEATH

Início atividades: A banda foi formada no início de 1990, porém encerraram as atividades em 1996 e retornaram em maio de 2016.

Discos lançados:
DEMO TAPE: “Faces of Death” (1994)
DEMO TAPE: “Retrocession” (1996)
EP: “Consummatum Est” (2017)

Formação Atual:
Laurence Miranda (Guitarras, vocais)
Talles Donola (Guitarras)
Sylvio Miranda (Baixo)
Sidney Ramos (Bateria)

Cidade/Estado: Pindamonhangaba/SP


BD: Como a banda começou? O que os incentivou a formarem a banda?

Laurence: Decidimos montar a banda, pois escutávamos Metal o dia todo, respirávamos Metal 100%, mas era outra formação, sendo Laurence Miranda (guitarras, vocais), Flávio (bateria) e Victor Hugo (baixo). Após 20 anos chamei meu irmão Sylvio para retornar com a banda e convidamos o Sidney e o Talles.


BD: Quais as maiores dificuldades que estão enfrentando no cenário?

Laurence: Todos os problemas possíveis e imaginários para uma banda de metal underground e independente (Rsss). A carência de público nos shows é um fator preocupante.  Os moleques não vão mais a shows, o que se vê são os caras mais velhos nos shows.

Outro fator preocupante é a estrutura nos shows, aparelhagem e isso faz com que as pessoas não vão ao show, mas esta barreira depende das bandas se posicionarem e cobrar cada vez mais dos produtores.

Mas nada pode tirar o foco de algo que você faz e acredita, o metal corre nas veias e faz você trabalhar incansavelmente para mudar as coisas, entende? Problemas sempre existirão, mas a vontade de seguir em frente é maior! Trabalhamos para o metal e ponto!


BD: Como estão as condições em sua cidade em termos de Metal/Rock? Conseguem tocar com regularidade? A estrutura é boa?

Laurence: Como somos do interior do Estado de São Paulo você já deve imaginar a dificuldade de shows, mas sempre tem alguém organizando algo aqui no Vale do Paraíba. É como disse antes, trabalhamos para o metal e continuaremos na luta para mostrar nosso trabalho e de outras bandas. É assim que o underground sobrevive.


BD: Hoje em dia, muitos gostam de declarar o fim do metal, já que grandes nomes estão partindo, e outros parando. Mas e vocês, que são uma banda, como encaram este tipo de comentário?

Laurence: Totalmente desnecessário. Tem bandas grandes lançando discos espetaculares como KREATOR, SEPULTURA, SUFFOCATION, SLAYER, KRISIUN, e por aí vai...

As pessoas que gostam e amam o metal precisam ajudar e elas ajudam, mas sempre tem uns fracassados que só gostam de criticar negativamente e não ajudam.


BD: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário dar certo? Qual sua opinião?

Laurence: Organização, sempre! Não é porque você tem uma banda de metal underground que o negócio precisa ser tosco. Pelo contrário, precisamos nos organizar e mostrar que não é brincadeira. É muita coisa envolvida, muito suor e dedicação.

As coisas só dão certo se você organizar, planejar, acreditar e investir. Não espere dos outros, faça você mesmo!


BD: Deixem sua mensagem final para os leitores.

Laurence: Prestigiem a cena nacional, escutem bandas novas, vão a shows e divulguem as bandas. O público precisa prestigiar, pois o momento é importante para todos!


Links de contato:

Contato para shows: (11) 99788 4169 (Laurence)

Links para audição: