domingo, 17 de setembro de 2017

NO TRAUMA (Metalcore/Harcore Metal - Rio de Janeiro/RJ)


Banda: NO TRAUMA

Início de atividades: 2011

Discos lançados: Um Single “Eis a Minha Mão”, e um álbum “Viva Forte Até o Seu Leito de Morte”

Formação atual: Hosmany Bandeira (vocal), Marvin Tabosa (bateria), João de Paula (baixo), Tuninho Silva (guitarras)

Cidade/Estado: Rio de Janeiro/RJ


BD: Como a banda começou? O que os incentivou a formarem uma banda?

A banda vem de outras formações desde 2007, Marvin conheceu Tuninho Silva em um show da banda americana AS I LAY DYING em 2011 e o convidou a integrar o que hoje é o NO TRAUMA, a fazer algo com uma proposta mais moderna, agressiva e pesado, com letras que tivesse impacto nas pessoas, acho estamos conseguindo (risos).


BD: Quais as maiores dificuldades que estão enfrentando no cenário?

No Brasil viver de musica e só dificuldade, principalmente se não for algo comercial. Mas as maiores dificuldades estão nas coisas pequenas, instrumento nacional de baixíssima qualidade (os importados são caríssimos), viajar pra tocar também é um ponto difícil (passagens caras, excesso de pedágios com estradas ruins), as mídias também não abrem espaço para novos artistas, enfim fazer sucesso no Brasil como artista independente não uma opção, e sim a única opção. E quem consegue pode ser dado como herói.


BD: Como estão as condições em sua cidade em termos de Metal/Rock? Conseguem tocar com regularidade? A estrutura é boa?

O cenário no Rio de janeiro é mediano, mas as condições atuais de violência na cidade dificultam muito a fluidez de qualquer cena, acho que isso é um ponto que atrapalha muito o desenvolvimento da cena.


BD: Hoje em dia, muitos gostam de declarar o fim do Metal, já que grandes nomes estão partindo, e outros parando. Mas e vocês, que são uma banda, como encaram esse tipo de comentário?

Não costumamos dar relevância a esse tipo de comentário, pois é coisa de saudosistas românticos. Eu posso fazer uma lista de bandas de Metal e Hardcore brasileiras que estão lotando casas de shows mesmo com a situação econômica do país estando instável. PROJECT 46, WORST, PENSE, DPR, KORZUS, BULLET BANE, etc. Uma até estão em turnê pelo Brasil nesse exato momento como o TORTURE SQUAD.


BD: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário dar certo? Qual sua opinião?

Vergonha na cara de todos envolvidos, bandas, produtores e público. Bandas profissionais, produtores sérios e profissionais, só isso já é o suficiente pra mudar a mentalidade do público, e o Brasil vira referência em circuito e cena. Claro que existem fatores como economia do país que influenciam, mas não é empecilho, mas o underground hoje está melhor do que no passado, e acreditamos que pode crescer muito mais ainda.


BD: Deixem sua mensagem final para os leitores.

Acreditem em vocês mesmos, lutem até o fim, não se deixem levar por falácias, dogmas, imposições de religiões, governos, movimentos desculturais e etc, sejam autênticos, sejam liberais, sejam mais que apenas reprodutores.

VIVA FORTE ATÉ O SEU LEITO DE MORTE!


Links para contatos:

Instagram. @notraumaoficial


Links para audição:

Aplicativos onde nosso álbum esta disponibilizado: Spotify, Deezer, Amazon, Google Play, I Tunes
Nosso álbum full também esta no Youtube: https://youtu.be/F8QrC3vzPw4