domingo, 17 de setembro de 2017

TUPI NAMBHA (Metal Tribal/Brazilian Ethinic Metal - Recanto das Emas/Distrito Federal/DF)


Banda: TUPI NAMBHA

Início de atividades: Jan/ 2016

Discos lançados: EP “Invasão Alienígena” (lançado em 26/11/2016)

Formação atual: Marcos Loiola (vocais), Rogério Delevedove (guitarras), baixo e bateria gravados por nosso produtor e cineasta Caio Cortonesi (DYNAHEAD, Estudio BroadBand, Produtora Procyon)

Cidade/Estado: Recanto das Emas (Distrito Federal/DF)


BD: Como a banda começou? O que os incentivou a formarem uma banda?

Rogério Delevedove: Nos conhecemos por volta de 1996, no Recanto das Emas, o Rock nos aproximou, como amigos e logo a ideia de montar uma banda surgiu: VASSALLOS® foi nossa primeira banda; tudo começou como uma brincadeira e foi tomando um formato profissional, tocamos em alguns estados, mas este projeto chegou ao fim.

O Marcos e eu permanecemos compondo e fazendo experimentações e acima de tudo fusões de ritmos; foram anos criando e fazendo testes, até chegar ao som do TUPI NAMBHA.


BD: Quais as maiores dificuldades que estão enfrentando no cenário?

Marcos Loiola: As dificuldades são muitas, mais as principais são: A falta de apoio por parte da secretaria de cultura, os incentivos vindos dessas secretarias parecem ser destinadas a outros estilos músicas e outras artes específicas, não podemos esquecer que a falta de união das bandas ajudam bastante para esse apoio não ocorrer, pois as mesmas não pressionam as instituições governamentais que na figura da secretaria de cultura deveria apoiar o movimento metal rock.


BD: Como estão as condições em sua cidade em termos de Metal/Rock? Conseguem tocar com regularidade? A estrutura é boa?

Marcos Loiola: Os eventos de Metal/Rock são quase extintos, porque como disse antes não existe apoio das secretarias, os poucos eventos ocorridos aqui são organizados em sua grande maioria pelas próprias bandas, geralmente os eventos dispõe de estruturas que deixam muito a desejar, o pior é que o público que Metal/Rock parece ter se acostumado a prestigiar eventos com estruturas improvisadas sem conforto algum, aliás, as pessoas que vão aos shows parecem não estarem dispostas a colaborarem financeiramente para a melhora da estrutura dos eventos que as mesmas vão.


BD: Hoje em dia, muitos gostam de declarar o fim do Metal, já que grandes nomes estão partindo, e outros parando. Mas e vocês, que são uma banda, como encaram esse tipo de comentário?

Rogério Delevedove: Não compartilhamos dessa ideia, pois o Metal, não é algo passageiro, efêmero. Metal é um estilo de vida, isso não tem fim, pois esse desejo vem da alma.


BD: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário dar certo? Qual sua opinião?

Rogério Delevedove: Infelizmente ainda falta muita coisa para que o cenário mude para melhor, posso citar: Apoio governamental para eventos de Metal/Rock, fornecendo estrutura de evento com qualidade; hoje em dia não temos isonomia na distribuição desses recursos entre os distintos eventos, o que ocorre é que eventos sertanejos/pagode/funk carioca e afins são privilegiados, abocanhando a quase totalidade desses recursos; eventos que vão na contramão, desses citados,  na sua maioria são negados e quando atendidos, são contemplados  apenas a quota mínima dos pedidos dos recursos para atender formalidades legais.

Além disso, posso citar também a falta de sinergia das bandas de Metal, hoje em dia somos ilhas, quando que se juntássemos as forças seríamos mais fortes, formando uma entidade com maior representação legal perante a Secretaria de Cultura, exigindo nossos recursos integrais na realização de eventos melhorando inclusive a captação de recursos privados.


BD: Deixem sua mensagem final para os leitores.

Rogério Delevedove: Gostaria de agradecer ao Metal Samsara e ao Marcos Garcia pela oportunidade, o Metal Samsara tem uma representação gigante hoje no cenário, estamos honrados pelo convite, muito obrigado Marcos Garcia; agradecemos também ao apoio da Roadie Metal pelo profissionalismo na produção da realização dessa entrevista, nossos mais sinceros agradecimentos ao Gleison Junior. Metal é atitude, é estilo de vida, não podemos deixar esses valores se perderem, a atitude de mudança esta ao nosso alcance e a ferramenta é a vontade; Se você tem uma banda, e esta mensagem tem ressonância com suas ideias, contem com a banda TUPI NAMBHA® para unir forças. Vida Longa ao Metal!

Marcos Loiola: O que eu gostaria de deixar de mensagem para quem curti Metal/Rock é que quem faz a cena acontecer somos nós, e quanto às bandas não podemos confundir a mensagem “faça você mesmo” com a frase “faça de qualquer jeito”. Um abraço a todos e muito metal.


Links para contatos:
Celular: (61) 9.99124-9453 – WhatsApp


Links para audição:
Facebook: https://www.facebook.com/TupiNambhaOficial (menu Esquerdo Download Music)