terça-feira, 19 de dezembro de 2017

ASKE - Broken Vow


EP
2018
Nacional

Tracklist:

1.      Meadows in Shade
2.      Menschwerdung
3.      Broken Vows
4.      Mardi Gras
5.      Übermensch


Banda:


Filipe Salvini - Vocais, baixo
Lucas Duarte - Guitarras


Contatos:

Site Oficial:
Twitter:
Instagram:
Assessoria: http://www.sanguefrioproducoes.com/bandas/ASKE/27 (Sangue Frio Produções)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


As terras de São Carlos (SP) estão realmente em polvorosa em termos de Metal há alguns anos. Parece que a cidade virou um criadouro de nomes promissores. Um deles é o da dupla ASKE, que está há 8 anos na estrada, e que acaba de lançar o EP “Broken Vow”, um material de primeira para fãs de Meta extremo.

Tramitando em um meio termo entre o Death Metal e o Black Metal, a banda mostra intimidade com o que faz, além de ir além do que muitos medalhões do gênero fazem. Existem passagens onde melodias surgem em meio ao clima agressivo criado pelas canções do grupo, tempos que mudam bastante, boa técnica instrumental e um trabalho bem diferente em termos de vocais, com o uso de um timbre gutural mais enxuto. E sim, eles são bem criativos, algo que anda em baixa no Death/Black Metal.

Em termos de sonoridade, o trabalho feito na produção de “Broken Vow” é muito, muito bom, e vai além das expectativas. Os timbres instrumentais estão enxutos, claros e acessíveis aos ouvidos, mas mantendo o peso e agressividade que as músicas precisam. Parabéns ao produtor, pois em um país onde produzir Metal é um processo semelhante a tirar água de pedra, está ótima a sonoridade do EP.

A arte é bem simples, funciona e direta, mantendo a atenção do ouvinte apenas naquilo que o grupo tem de melhor: sua música.

E como eles têm talento!

Ouvir “Broken Vow” é um prazer, pois como já dito acima, o ASKE não tem compromisso com fórmulas musicais, faz o que lhes dá na telha, e que se dane o resto. Os arranjos da banda são de primeira, com muito esmero, a dinâmica entre os instrumentos e vocais é excelente. É daquelas bandas que se ouve e se pergunta logo “por que diabos não os conheci antes?”, e não é exagero: eles estão no ponto para serem uma referência para muitos.

O EP abre com a trabalhada “Meadows in Shade”, cheia de mudanças de andamento, indo de passagens cadenciadas densas a outras mais velozes, sempre com ótimo trabalho das guitarras (que riffs), seguida por “Menschwerdung”, cheia de agressividade e mais focada na velocidade, com alguns arranjos próximos ao Thrash Metal em muitos momentos, mas é rica de arranjos, logo, fique bem atento. Em “Broken Vows”, a banda usa de harmonias que lembram bastante a de bandas seminais de Death Metal melódico de Gotemburgo, com baixo e vocais fazendo um trabalho de primeira linha (e que belo solo de guitarra, cheio de ótimas melodias). Mais ganchuda e com uma pegada densa e moderna é “Mardi Gras”, com arranjos que beiram o Heavy Metal tradicional, com a base rítmica da banda dando uma aula. E fechando, a banda mostra uma regravação de “Übermensch”, música presente no primeiro álbum do grupo, (“Once...”, de 2015), em que o grupo mostra um jeitão agressivo mais tradicional em termos de Death/Black Metal, mas muito bem temperado de criatividade e boas conduções de ritmo, fora o vocal usando um timbre mais esganiçado que casou muito bem com as linhas melódicas da canção.

O único defeito é ser um EP, e não um álbum. Mas “Broken Vow”, que sairá apenas no formato digital, é uma prévia do que o ASKE está aprontando para seu segundo álbum, ainda sem data de lançamento precisa. Mas a banda vai ganhar mais fãs com esse EP, isso é certo!

Nota: 9,1/10,0